Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

FERNANDO ALAGOA

Blogue Oficial

FERNANDO ALAGOA

Blogue Oficial

05
Jun18

Professores, existência difícil

Textos nascidos a propósito das greves dos professores sobre o tempo de serviço.

 

Tenho um grande apreço pelos professores, já aqui o demonstrei em alguns comentários, tenho alguns na família e sou amigo de muitos mais, porém, pedindo antecipadamente desculpa pelo que vou dizer, tenho de o dizer:
- Sois excessivamente apáticos, e há dezenas de anos que sois apáticos;
- Colocais os vossos interesses nas mãos de quem repetidamente não vos defende;
- Fazeis greves com sorrisos nos lábios, como quem desfila em marchas populares;
- Aceitais regulamentos escolares, submissos de psicologias baratas que vos sujeitam ou sujeitaram ao poder estroina de alunos impreparados;
- Aceitais dar aulas em escolas assiduamente visitadas pelos caprichos do tempo: salas de aulas beijadas pela chuva, regadas pelo vento e acarinhadas por manhãs gélidas; 
- Admitis servilmente planos curriculares inventados por burocratas de cartilha;
- Deixaste-vos transformar em amanuenses, quando sóis investidos na nobreza da docência!
- Ides, quais mancebos, para onde vos ordenam, sem protestar e sem que vos paguem um único centavo pelo transtorno, pela despesa ou pelo derramar da vida pessoal em locais inóspitos (mais valia a medicina);
- Durante muitos anos, aceitastes o papel de mecenas, promovendo o ensino a expensas próprias, dando tempo além do tempo e patrocinando material escolar quando ele escasseava, para se instalar em parte incerta, quiçá, para que os tostões assim arrebanhados fossem desaguar na tesouraria de alguma escola privada e gorda, alimentada com dinheiros públicos;
- Aceitais orientações de estágios sem a devida compensação;
- Consentis que qualquer inábil vos dirija nos conselhos executivos;
- Permitis que qualquer ineficiente oriente turmas;
- Concedeis que qualquer desajeitado seja promovido, porque dais preferência aos anos de serviço em detrimento do mérito;
- Tolerais os concursos infindáveis que teimam em impor-vos e as repetidas colocações indevidas; 
- Aceitais contratos, ilegais, anos a fio, sem contestar;
Lamentavelmente, sendo injusto, tende, não o que mereceis, mas o que o vosso silêncio ou o silêncio de muitos têm consentido!...
Pela experiência de vida, já devíeis de saber que a paixão é um sentimento desordenado do ânimo. Só a reciprocidade do amor aproxima e protege!

© Fernando Alagoa
Editoras
Leya Escrytos
Alphabetum